domingo, 31 de março de 2013

Cenas do capitulo de ontem 30 de Março de 2013



Wanda provoca Lívia falando sobre Théo








Wanda marca encontro com Nunes

sábado, 30 de março de 2013

Estrela Totia diz que Wanda dá trabalho e torce para que vilã pague pelo que fez







 Depois de várias personagens na TV, em novelas como O clone, América e Duas caras, Totia Meirelles finalmente tem a chance de marcar seu nome na história da teledramaturgia ao dar vida à perversa Wanda, de Salve Jorge (TV Globo). Com um verdadeiro arsenal de maldades no ar, a personagem tem dado o que falar e Totia já colhe os frutos disso, ao ver número de seus fãs aumentar. Certa de que fazer vilã dá trabalho, a atriz espera mesmo é que Wanda tenha, cada vez mais, espaço na trama. Quanto ao final da personagem, Totia torce para que ela pague pelo que fez.



A Wanda é seu trabalho de maior notoriedade na TV?

Realmente é uma personagem que vem me surpreendendo a cada dia. Inicialmente sabia que ela seria vilã, trabalharia com essa questão do tráfico humano, estaria envolvida nos negócios da Lívia (Cláudia Raia), 
mas a forma como ela chegou tão rápido, isso me pegou de surpresa. A personagem deu uma crescida na trama, ganhou muita visibilidade. Mas ela foi tomando vida própria, ganhando terreno, e eu fui junto. Claro que por trás desse sucesso tem todo o conjunto da obra; tem a Glória (Perez, autora), a direção, os colegas de cena. E isso acontece. Em alguns trabalhos a personagem tem mais espaço, já em outros tem menos. Isso é comum numa novela.


Wanda é uma mulher capaz de tudo para alcançar seus objetivos. Dá trabalho fazer uma vilã como ela?
Dá trabalho, sim, ainda mais uma como a Wanda, que é recheada de nuances. Não dá para chegar e falar só o texto, do tipo: ‘Vamos lá em casa tomar um chá?’ (risos). Ela exige um estudo, uma interpretação. Até porque tudo é muito dúbio nela. Tem horas que ela é amiga, vilã, debochada... Então, posso dizer que a Wanda realmente me dá muito trabalho. Mas estou amando! Tem dias que é ótimo, mas em outros é pesado, porque tem cenas que são pesadas e não é fácil gravar uma cena traficando um bebê.


Esta é a primeira vez que você dá vida a uma antagonista na TV. Estava à espera dessa oportunidade?
É muito bom fazer uma vilã, que é uma coisa nova para mim. A expectativa é maior e o trabalho torna-se bem divertido. No final, é mais divertido que penoso.




Com tanto sucesso de crítica e de público, pode-se dizer que Wanda é sua personagem de maior projeção na TV?
Como a Wanda está presente na trama principal, acho que as pessoas comentam mais... Porém, sem dúvida, ela é a minha personagem de maior projeção na TV. Já fiz muitos trabalhos bacanas antes, porém, com a Wanda tive a chance de fazer pela primeira vez uma vilã. Os fãs agora me dão os parabéns pelo trabalho, falam que me adoram, mas que odeiam a Wanda. Agora eles estão me vendo fazer maldades no ar (risos). Acho isso divertido e o bacana é que eles sabem perfeitamente me diferenciar da personagem. As pessoas sempre foram carinhosas e me tratam até hoje com muito respeito.



Ao sair do Projac, depois de um dia pesado de gravação, você consegue se desligar totalmente da Wanda?

Quando saio de cena consigo me desligar totalmente da Wanda. Não a carrego para casa. Claro que vivo algumas situações em que o cérebro sabe que é mentira, mas o corpo não e as executa (risos). Por isso, às vezes saio da gravação exausta. Dá trabalho fazer a Wanda. Ela é uma personagem de várias nuances e que tem me proporcionado momentos maravilhosos na profissão.






A personagem tem se metido em vários embates com Morena (Nanda Costa) e Lucimar (Dira Paes) e as cenas de briga vêm dando audiência para a novela. Como isso se dá na gravação?
Esta é a primeira vez que faço cenas de briga na TV e não é complicado porque tudo é muito bem coreografado. O difícil é repetir a mesma emoção durante as vezes em que repetimos a gravação. Até porque o desgaste emocional é grande. Sempre tento fazer o mais perto do real e às vezes fico roxinha (risos). Na última cena de briga que gravei com a Dira (Paes), que foi até menor que as outras, a gente fez muita força física nos braços e nas pernas e eu fiquei com muita dor. Mas estou adorando! (Risos)!



Mesmo com um ritmo de gravação puxado, quando você tem um tempo livre o que costuma fazer?
Quando não gravo, eu faço ginástica. Quando não tenho tempo de ir para minha aula de ginástica, subo a escada ou então corro. Só fico com pena de não ter voltado mais para o balé por falta de tempo. Mas quero é gravar mais e mais para a Wanda crescer muito. Quando dá tempo, também gosto de ir ao cinema ou ao teatro.




Você também cuidada da alimentação?
Evito todas aquelas coisas que a gente sabe que fazem mal. Então, procuro levar minha comida de casa, sempre com uma salada, porque sei que é feita de maneira mais saudável, balanceada. Mas se vou a uma festa no fim de semana, não passo fome e como o que me dá vontade. Acho que tem de ter esse equilíbrio, senão a gente não aguenta.


Você é uma mulher vaidosa no dia a dia? Segue algum ritual diário para estar sempre bem?
Eu me cuido dentro de um limite e não tenho aquela vaidade extrema. Não saio de casa sem maquiagem, com um bom corretivo, um batom e um lápis. Gosto de passar um creme no corpo e um protetor solar.




Uma de suas marcas é o sorriso...
Lá em casa todo mundo é assim: ri alto, é bem alto-astral. Eu sou o tipo de pessoa que não guarda rancor de ninguém e não fico chateada. Como uma boa libriana, sou justa, e se tem alguma coisa nesta vida que me tira do sério é a injustiça. Mas, ao mesmo tempo, dois minutos depois já esqueci e virei a página. Não sei se essa é a melhor maneira de se viver, mas é a minha maneira de ser. Não levo o mau humor comigo e também não alimento desafetos.


Salve Jorge caminha para a reta final. Qual o desfecho que você espera para Wanda?
Quero que a Wanda cresça cada vez mais na trama e espero o pior desfecho possível para ela. Como Totia, eu fico com pena e defendo minha personagem (risos), mas ela tem que sofrer muito, ser presa e ir parar na cadeia ou até morrer.





O quer você pensa em fazer após Salve Jorge?
Tenho o projeto de um musical, mas não está nada definido. Estou sem tempo de ler os textos, ver as coisas. Mas, quando acabar a novela, quero voltar aos palcos.







Qual o saldo que fica do trabalho em Salve Jorge?
Até agora tenho aproveitado ao máximo o que a Wanda tem me proporcionado. Ela me deu maior visibilidade, descubro coisas, ultrapasso obstáculos na minha profissão que eu não sabia se poderia ou não ultrapassá-los.

Totia Meireles vai ser a estrela do musical I do, I do?



Segundo o site NE10 Cultura; No papel da grande vilã da novela Salve Jorge – Wanda, a atriz Totia Meireles será a estrela da versão brasileira do musical I do, I do. Com dois atores em cena e uma única cama como cenário, o espetáculo versa sobre os 50 anos de vida de um casal.
Sera?

Estrela Totia, revela novas maldades de Wanda em 'Salve Jorge'

   

    

Estrela Totia , revela que nunca sonhou em ser protagonista


A atriz Totia Meirelles, que interpreta Wanda, uma das vilãs de “Salve Jorge”, revelou que nunca sonhou em ser protagonista de uma novela, e embora não seja ambiciosa em relação à sua carreira, disse que sempre teve bons papeis, mesmo deixando as coisas acontecerem.
Na trama de Glória Perez, a Wanda tem  roubado a cena e mostrando que é muito mais que a vilã Lívia.

sexta-feira, 29 de março de 2013

Cenas do capitulo de hoje 29 de Março de 2013



Lívia conta para Wanda que foi agredida por Lucimar








Wanda afirma para Lívia que Théo tem uma ligação forte com Morena







Wanda liga para Nunes









Wanda encontra a vilã arrasada depois de ser humilhada pelo capitão






quinta-feira, 28 de março de 2013

Cenas do capitulo de ontem 27 de Março de 2013



Lívia tenta disfarçar para Wanda sua angústia por causa do capitão







Wanda alicia mais uma pessoa









Lívia pede para Wanda se esconder enquanto Stenio sobe para seu quarto







Lívia conta para Wanda que ela mesma vai devolver o cheque rasgado para Théo







Lívia se irrita com Wanda

terça-feira, 26 de março de 2013

Cenas do capitulo de hoje 26 de Março de 2013



Wanda afirma que voltará para o Brasil








Wanda se segura para não rir na cara da Lívia o desprezo ela levou de Théo







Lívia tenta dar uma explicação pra Wanda, do desprezo de Théo







Nunes relembra o dia em que emprestou um cheque para Wanda







Cenas do capitulo de ontem 25 de Março de 2013



Wanda exige que Rosângela conte a verdade sobre Morena








Wanda conclui que está sendo ameaçada por Morena







Totia Meirelles fala do sucesso aos 54 anos com a Wanda de ‘Salve Jorge’

A atriz defende os tipos coadjuvantes e garante não ser ambiciosa


RIO - China, Vietnã ou Japão. Assim como faz ao final de cada trabalho, Totia Meirelles quer viajar tão logo encerre as gravações de “Salve Jorge”, em maio. A atriz ainda não decidiu para qual dos três países asiáticos viajará nas suas férias, mas está certa de que passará uns dias em Londres. Ela pode ter certeza também de que a folga virá depois de seu maior sucesso numa carreira pautada por papéis coadjuvantes na TV e musicais no teatro.

Sem se deslumbrar com a popularidade recém-conquistada, ela sabe que Wanda, vilã que roubou a cena na trama escrita por Gloria Perez para as 21h, é um tipo ímpar em sua galeria de personagens.



Eu já interpretei a boa amiga, a boa mãe, a boa profissional. De repente, sem esperar, veio a boa vilã — destaca a atriz, aos risos.

Não que ela desdenhe dos trabalhos anteriores. E cita, por exemplo, a Vera de “América” (2005), como importante. Para a atriz, a mãe da ninfeta Lurdinha (Cleo Pires), que revivia na maturidade o romance que teve na adolescência com o deficiente visual Jatobá (Marcos Frota), representou um upgrade em sua trajetória na TV.

— Um ator não precisa de um estouro para construir uma carreira. Existem grandes papéis coadjuvantes — aponta.

Mas não há como comparar o apelo dos seus personagens anteriores ao de Wanda. A bandida cruel que executa sem culpa as ordens dadas pela fria Lívia (Claudia Raia), líder da quadrilha que trafica pessoas em “Salve Jorge”, é quem movimenta a ação da novela.

— Eu já tive outras personagens que foram bem aceitas, mas Wanda é o primeiro grande sucesso, o de maior apelo. Outro dia fui gravar em Copacabana e todos gritavam: “Wanda, Wanda!”. Eu falava: “Gente, mas eu sou má” (risos). Não vai ser fácil conseguir outro papel assim. Sei que bons personagens para uma atriz madura são mais difíceis de serem encontrados — acredita.

Parte de um elenco que traz Dira Paes, de 43 anos, e Giovanna Antonelli, de 37 anos, interpretando mães de jovens adultas (feitas por Nanda Costa e Mariana Rios, respectivamente), Totia, de 54 anos, também tem consciência de que a TV costuma optar por mulheres mais jovens mesmo para papéis que serviriam para atrizes maduras:

A imagem jovem é bem mais agradável do que a de uma pessoa cheia de rugas.

Franca, assume o uso moderado de botox no rosto.


Todo mundo fala: “Você está tão bem”. Mas não quero parecer mais nova do que sou, nem ficar como a boneca Barbie. Aplico um toque de botox nessa região — diz, apontando para a parte do rosto acima do nariz, entre os olhos.                                                   
Para uma pessoa que lida com a imagem, Totia acredita que poderia ser um tantinho mais vaidosa do que é.

Eu passo creminhos e tiro a maquiagem. Envelhecer é chato, mas a outra opção é pior. Estou me gostando agora, mas sinto diferença ao ver uma foto minha aos 40 anos. Hoje eu consigo entender melhor o meu corpo. Sei como o meu cabelo funciona... Quando me olho no espelho não acho de todo ruim, não — brinca.
Ela garante ser uma pessoa sem frescuras. Ao olhar para trás e avaliar a sua carreira, demonstra ter os pés no chão:
A nossa profissão é feita de momentos, de altos e baixos. Estou saboreando esse trabalho e sei que vai acabar. A Wanda não era para ser isso tudo, nem a Gloria esperava. O personagem cresceu além do esperado.

Atriz que já interpretou mulheres tão distintas como a Silvana, de “Cobras & lagartos” (2006), a Aída, de “Caminhos das Índias” (2009), e a Zambeze, de “Fina estampa” (2011), Totia afirma que sua proposta de carreira é “viver de trabalho e não de sucesso”.

A gente quer bons personagens sempre, mas eu sou uma pessoa que não foca tanto na profissão. Eu não corro muito atrás. E não sou tão ambiciosa dentro da minha carreira. Tem gente que fala: “Quero ser protagonista”. Eu vou deixando as coisas acontecerem — revela a atriz, que já encarou os papéis centrais nos musicais “Cristal Bacharach” (2005) e “Gypsy (2010).

Com exceção de “Cobras & lagartos”, trama de João Emanuel Carneiro exibida às 19h, Totia só aparece na TV no horário nobre nos últimos anos. A atriz também costuma estar em quase todas as tramas da autora de “Salve Jorge”.
 Gloria diz que eu falo bem o texto dela e me escala para bons personagens. Eu ainda estava fazendo “Cobras” quando “Amazônia, de Galvez a Chico Mendes” (2007) foi exibida. Nos nós encontramos e ela me disse: “Você está me traindo!”. Quando a novela acabou, ela me colocou numa participação de três capítulos da minissérie — conta.

Bailarina de formação, Totia começou a faculdade de Educação Física com o intuito de abrir uma escola de dança. O convite para integrar o elenco do musical “Chorus line”, protagonizado por Claudia Raia no começo da década de 1980, foi responsável pela mudança de seus planos.

No meio da faculdade apareceu o teste para o musical. Gostei e comecei a carreira — resume Totia, que chegou a substituir Claudia no papel principal do espetáculo.

A amizade entre as atrizes começou ali. Hoje, garante, as duas dão risadas nos bastidores de “Salve Jorge” quando ouvem boatos dando conta de que Claudia estaria enciumada com o sucesso de Totia.

Nós somos amigas de uma vida inteira. Torcemos uma pela outra — afirma a atriz, que passou por humorísticos como “Escolinha do Professor Raimundo” no começo da carreira na televisão, nos anos 1990: — Fiz muita coisa de comédia e trago isso para os meus personagens das novelas. Até para a Wanda eu uso uma vírgula de humor. Ainda mais quando estou ao lado da Claudia. Se deixar, a gente pira, mas não é essa a proposta. Senão, vira “Zorra total”.
Dona de uma sorriso largo, Totia diz ser o tipo de pessoa que não alimenta mágoas:

Eu posso até ficar com raiva na hora em que acontece alguma coisa, mas dois minutos depois já passou. Já tive um carro sem seguro que foi roubado. Cheguei na esquina e ele não estava lá. Quer saber se chorei? Não. Eu não choro nessas horas.

O que leva Totia às lágrimas são outros sentimentos, como os que vieram ao assistir, no cinema, o musical “Os Miseráveis”. Também se viu aos prantos diante da TV na cena em que a personagem de Dira Paes acredita na falsa morte da filha em “Salve Jorge”.

Nascida no Rio, a atriz passou boa parte da infância em Cuiabá por conta da carreira do pai militar. Ainda tem parentes na capital do Mato Grosso, considerada por ela sua “cidade do coração”. Casada com o médico Jaime Rabacov há 21 anos, ela vem de uma família numerosa: tem cinco irmãs e dois irmãos.

Por muito tempo, Totia perseguiu a vontade de ser mãe. E, aos 36 anos, chegou a fazer tratamento para engravidar, antes de decidir que a maternidade não faria parte dos seus planos.


É difícil tomar a decisão de não ser mãe. Durante anos eu quis. Mas chega uma hora em que você não sabe mais se a vontade é sua. Eu percebi que não era a minha. Já fui cobrada por isso. Tenho uma sobrinha de 30 e poucos com essa angústia. Eu digo: “Para e pensa se você quer mesmo ou se é a sociedade que impõe isso, se é a sua criação” — conta.

A atriz, que se considera avó e participa da criação dos filhos de sua enteada — Santiago, de 4 anos, e Pilar, de 6 meses — mostra fotos da menina no seu celular durante a entrevista. Mas diz ser uma pessoa “totalmente fora dos padrões”:

Sou casada, mas moramos em casas separadas. E tenho netos sem ter tido filhos.

Terapia, ela só fez durante quatro meses, quando interpretou uma psicóloga em “Caminho das Índias”.

Eu tentei fazer análise, mas ficava tão tensa pensando sempre num assunto para falar. Acho tão bonito gente que é analisada. O papo é outro. Eu queria ser essa pessoa — diz.

Totia é uma mulher que não abre mão dos pequenos prazeres. Adora tomar um vinho acompanhada do marido, que mora na Serra fluminense e passa os fins de semana com ela no Rio. E diz que acordar apenas na hora em que o sono acaba é sinônimo de luxo.

Adoro trabalhar, mas sabe mesmo de que mais gosto? De não fazer nada! Eu seria uma pessoa feliz mesmo sem fazer nada — assume, enfática.

No momento, isso é impossível. Wanda ocupa boa parte do tempo da atriz, que tem gravado muitas de suas cenas madrugadas adentro. Ela sabe que é uma fase e não reclama. Só tem uma reivindicação a fazer:

— Já apanhei muito nesta novela. Também queria bater um pouco.

domingo, 24 de março de 2013

Cenas do capitulo de ontem 23 de Março de 2013



Lívia conta para Wanda que foi para a cama com Théo








Wanda acredita que Rosângela enganou a quadrilha








Cyla fala de Morena para Lívia e Wanda








Lívia fica incomodada quando Wanda fala sobre o amor que Théo sente por Morena

Cenas do capitulo do dia 22 de Março de 2013



Morena volta para seu quarto apressada quando vê Wanda








Wanda elogia Bianca por sua dança








Lívia confessa para Wanda que está apaixonada por Théo

quinta-feira, 21 de março de 2013

Cenas do capitulo de hoje dia 21 de Março de 2013



Cyla convida Wanda para apresentação de Bianca no restaurante







Morena vê Wanda no restaurante e fica apavorada

Totia Meirelles sobre tráfico humano: “As sequelas no corpo e na alma dessas mulheres são enormes”

Totia Meirelles, uma das estrelas da novela Salve Jorge, fala sobre o sofrimento das vítimas de tráfico humano que são submetidas à exploração sexual
No auge da carreira, Totia Meirelles vem roubando a cena na pele da vilã Wanda de "Salve Jorge". Sua personagem, uma mulher sem escrúpulos que trafica belas jovens e bebês e ainda se tornou assassina, não mede esforços para arrancar do caminho quem ameaça seus planos. “No início da novela, acreditava que a Wanda tinha uma deformação de caráter e que isso fazia com que quisesse se dar bem, diz a atriz a Marie Claire Online. “Não achei que chegaria a matar”. Seja na ficção ou na vida real, a experiência de Totia mostra que a crueldade dos criminosos não tem limites. “O que a gente retrata na novela é muito maquiado e muito mais suave do que a realidade”, conta. A seguir, os principais trechos da 
entrevista:
Marie Claire - Imaginava que sua personagem fosse crescer tanto?
Totia Meirelles - Não. A Wanda foi mudando com o decorrer do tempo. No início da novela, acreditava que ela tinha uma deformação de caráter e que isso fazia com que quisesse se dar bem. Pensei que a maldade da personagem iria até a página dois, que ela traficaria pessoas, mas que ainda havia uma ponta de humanidade e de piedade dentro dela. Não achei que fosse ultrapassar esses limites e que chegaria a matar. A Wanda tomou um corpo que independia de mim e da Gloria (Perez, autora da novela). As coisas foram acontecendo e ela se tornou o que é. Sarcástica. Terrível. Adoro a Wanda.
Marie Claire - A Wanda se mostrou capaz de transitar muito bem entre os traficantes e os familiares das traficadas e de enganar todo mundo...
Totia Meirelles - Isso é bem legal, porque ela mostrava duas caras. Quando era amiga, era amiga mesmo. Uma pessoa bacana que as outras queriam ter por perto. Uma mulher acima de qualquer suspeita.
Marie Claire - Assim são os traficantes de pessoas na vida real?
Totia Meirelles - O tráfico humano é um crime que a gente sabe que existe, mas não sabe quem são os aliciadores. Eles podem ser qualquer pessoa. Por isso é tão bacana tratar desse assunto e colocá-lo nas rodas de discussão. É como a Gloria diz, se conseguirmos impedir que uma pessoa seja traficada, a novela valerá a pena. Hoje já existem ONGs que atendem as vítimas e o número 180 que recebe denúncias tanto no Brasil quanto em alguns países do exterior. As coisas estão andando e as pessoas estão se mobilizando. Mais do que isso: meninas que achavam que no exterior é tudo maravilhoso estão sendo alertadas.


Marie Claire - Você faz cenas fortes na novela, como elas repercutem na sua vida pessoal?
Totia Meirelles - Fiquei muito mexida com a cena do atropelamento do Santiago. Passei com o carro por cima de um saco de areia, que simulava o corpo, e tive uma sensação muito estranha. Nunca atropelei ninguém, mas tenho a impressão de que a sensação é a mesma. Depois da cena a gente brinca, mas foi muito esquisito. Foi muito ruim.
Marie Claire - Até porque para interpretar você tinha de imaginar que havia um corpo?
Totia Meirelles - Exatamente. E ainda tinha de ter prazer em fazer aquilo. Foi muito ruim.
Marie Claire - Os métodos usados pelos traficantes reais te impressionam?
Totia Meirelles - Fico muito impressionada em saber até que ponto eles chegam e a maneira como tratam as traficadas. O que a gente retrata na novela é muito maquiado e muito mais suave do que a realidade. Dependendo do tipo físico das aliciadas, elas são mandadas para boates classe A, B, C e daí em diante. Ouvi o relato de uma menina que dizia que muitas ficam em lugares piores do que os fundos da Central do Brasil.

Marie Claire - Como assim?
Totia Meirelles - São obrigadas a ter relações sexuais com pessoas com feridas no corpo, com indigentes que passam e pagam para ter uma mulher. Há vítimas que vivem em alojamentos sujos, sem água corrente e banheiro. Têm de tomar banho de caneca. São histórias muito deprimentes. Durante um workshop antes do início da novela, uma vítima nos contou que foi para o exterior junto com a sobrinha. As duas foram separadas, ela foi mandada para esse cenário horroroso e a outra moça acabou morta.
Marie Claire - É impossível esquecer uma experiência como essa...
Totia Meirelles - As sequelas no corpo e na alma dessas mulheres são enormes. Elas ficam marcadas para sempre. Passam por muita humilhação, apanham demais. Acho que não tem recuperação. Mesmo com acompanhamento psicológico, há cicatrizes que não vão se fechar nunca.

Marie Claire - Há pessoas que têm dificuldades de se reconhecerem como vítimas. Elas, de alguma forma, se culpam por terem caído nas redes de tráfico?
Totia Meirelles - As vítimas, não. Mas é comum familiares e amigos demorarem a aceitá-las. Apesar de elas terem sido escravizadas, a figura da prostituta é mais forte e vem em primeiro lugar. Sempre fica algum preconceito.